domingo, 31 de janeiro de 2010

Desafio de Dutalhon Rústico - 31/01


Apesar dos imprevistos foi uma ótima prova. Momentos antes de largar o Gabriel, meu parceiro que ia pedalar percebeu q o cabo do freio da bike estava quebrado e o óleo do freio vazou, resultado, bike sem freio. Aí ferrou, mas não teve problema, corri atrás de outro e chamei o Tico pra pedalar.

Alinhamos para largar e só tinha corredor, logo vi que o bicho ia pegar. Para piorar o percurso era muito difícil, nos primeiros 4km era só descida até o metade, e como tudo que desce sobe, assim como tudo que sobe desce, a outra metade da prova foi só subida, mas SUBIDA mesmo. Para ter uma idéia de como é pesado meus tempos foram 6’40”(3’20”/km) nos primeiros 2km, já os 2km da volta fiz em 8’14”(4’07”/km). Mas cheguei muito bem, fui o 4º a chegar da primeira corrida e passei a bola para o Tico.

Depois de uns trinta e poucos minutos meu parceiro voltou, não tão bem posicionado mas chegou bem, se não me engano em 6º. Parti para os 2km da segunda corrida, um pouco atrás mas puxei muito para buscar um corredor que estava avistando, assim como a primeira corrida o percurso era reduzido mas sofrido do mesmo jeito, 1km só descendo e o outro 1km só subindo, mas como foquei em buscar o corredor que estava vendo, impus um ritmo muito forte, e consegui ultrapassar ele nos últimos 200m, foi muito show. Meu tempo da segunda corrida foi de 6’40”(3’20”/km) cravados. Comparando, foi o mesmo tempo dos primeiros 2km da primeira corrida, detalhe que estes foram só descendo.

Balanço da prova: Bom apesar de ainda não estar fazendo treinos de velocidade, fiquei muito satisfeito com a minha corrida. Para falar a verdade superou e muito as minha expectativas. Agora é continuar os treinos e manter o foco nos objetivos traçados.

A prova foi muito boa, organização legal, local extremamente agradável, só faltou um pouco mais de pontualidade, mas fora isso foi tudo muito bom. Parabéns ao pessoal da VO3 assessoria esportiva e a Mandala Bikes.

Abraço a todos e bons treinos!

sábado, 30 de janeiro de 2010

Comentário sobre a foto da capa (2)

A foto anterior é simplesmente sensacional, vide postagem anterior "Comentário sobre a foto da capa". Mas essa nova foto também é muito especial, é algo nada comum de se ver. Afinal não é todo dia e nem todo lugar que encontramos um, ou melhor, vários cangurus, muito menos temos a oportunidade de dar comida para ele na mão.

Esse episódio no mínimo inusitado aconteceu em um parque temático, o Dream World em Gold Coast – Austrália, fui ao parque no dia seguinte de ter competido no Campeonato Mundial de Short Triathlon, prova essa que conquistei o quarto lugar. Mas contarei sobre a prova em outro post.

Voltando a foto, estava eu e a Raquel em um parque que até onde sabíamos era só de diversão, mas ficamos sabendo que tinha um zoológico lá com os animais típicos do continente, na hora já fiquei super empolgado com o fato de ver um canguru.

Depois de ir em vários brinquedos muito loucos tipo um elevador de queda livre de 120m de altura e muitos outros do tipo fomos andando para o zôo e depois de abrirmos uma pequena porteira nos deparamos com dezenas, isso mesmo não é exagero DEZENAS de cangurus soltos no meio das pessoas, aí ficamos tão empolgados com aquilo que uma mulher que já estava saindo deve ter percebido e nos deu um saquinho com uma ração e nos falou que podíamos dar para os cangurus, era só colocar na mão e chegar perto deles que eles comeriam, aí não deu outra.

Na hora fui em direção a um e quando cheguei bem perto deu um certo medo, sei lá vai que esse bicho pulasse e me desse uma patada, a unha deles é muito grande, muito mesmo. Mas fui indo bem devagar, coloquei um pouco de ração na mão e estiquei o braço, na hora ele já veio de comeu na minha mão, nossa aí foi festa, tiramos fotos dando comida, passando a mão neles, do lado deles, foi uma experiência única, um momento que ficará guardado na memória para sempre como vários outros que essa viagem maravilhosa me proporcionou.

Valeu galera grande abraço a todos!

Treinos da semana (25/01 à 31/01)



Segunda -feira:
Natação: 3000m + 4km de corrida
Musculação

Terça-feira:
Natação: 2700m
Bike: 60km MTB

Quarta-feira:
Natação: 2000m
Corrida: 11,5km

Quinta-feira:
Natação: 2800m
Corrida: 10km

Sexta-feira:
Musculação
Natação: 2500m

Sábado:
Bike: 1h50'

Domingo:
- Duathlon rústico em Uberlândia, eu vou correr e o Gabriel Maia (www.pedalativo.com.br) vai pedalar. A prova terá 4km de corrida, 15km de bike e mais 2km de corrida tudo em estrada de terra. Vai ser um evento muito show.


Abraço e bons treinos a todos!

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Rapel na Cachoeira do Rio Claro

Domingo como relatei no registro de treinos da semana rolou um super rapel na cachoeira do Rio Claro. Foi muito bom, deu para aprender bastante sobre as formas de amarração, ancoragem e disposição das cordas para proporcionar uma descida segura.
Chegamos por volta das 8hs da manhã e ficamos até umas 14hs, valeu demais a experiência e claro a paisagem que é um espetáculo a parte e ao mesmo tempo intrigante. Abaixo algumas fotos tiradas pelo Leonardo De Agostini da aventura.

Cachoeira do Rio Claro.

Acertando os últimos detalhes.

Guilherme apreciando a paisagem.

Nú eu vou ter que descer isso tudo?????
Então vamo!!!!!!







Olha só o tanto de água, acompanhem a sequência, 01...

...02...

...03 e sumiu!!!!

Depois foi só resenha.

Abraço a todos e bons treinos!!!!!!

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Síndrome do Trato Iliotibial

Vou postar aqui algumas matérias sobre a síndrome do trato iliotibial, por se tratar de uma lesão que está atormentando um amigo meu, que está treinando para fazer seu 1º Iron Man. Espero que sirva para acrescentar mais algum exclarecimento.

_____________________________________________________________________________________


O trato iliotibial (TIT) é uma estrututa complexa que se origina nas fascias dos músculos glúteo máximo, médio, mínimo e do tensor da fáscia lata. Expande-se proximalmente para a crista ilíaca como aponeurose glútea e estende-se pela linha áspera e supracondilar lateral como septo intermuscular lateral, fundindo-se ao retináculo lateral da patela e inserindo-se no côndilo tibial lateral e na fáscia da perna.

O trato iliotibial possui uma ampla inserção periarticular, apresentando inserções na:

- Linha áspera, diáfise lateral do fêmur;
- Epicôndilo lateral do fêmur, na mesma região do ligamento colateral lateral;
- Patelar, juntando-se ao retináculo lateral;
- Tubérculo de Gerdy;
- Cápsulo-óssea, também chamada de ligamento femorotibial lateral.

E possui duas expansões:

Expansão para a aponeurose da perna;
Expansão patelo-tibial ou ligamento patelo-tibial.

O TIT está envolvido na estabilização do joelho, funcionando como um sinergista da extensão (até 30º de flexão) e da flexão (após 30º de flexão) e contribuindo para os movimentos rotacionais do joelho.

Não há um consenso sobre a causa, porém estudos recentes mostram que um desarranjo biomecânico é a origem desta síndrome.

A primeira teoria seria uma fraqueza dos músculos abdutores do quadril, que leva ao aumento da tensão no TIT na região do epicôndilo lateral do fêmur. Conforme o aumento da adução do quadril, o braço da alavanca dos músculos abdutores também aumenta, exigindo uma grande força excêntrica desses músculos o que também gera uma grande tensão no TIT na região do epicôndilo lateral do fêmur, resultando na fricção dessas duas estruturas e gerando um processo inflamatório local.

A segunda teoria defende que não é a fricção, porém a compressão de uma gordura altamente vascularizada e ricamente inervada entre a TIT e o epicôndilo lateral do fêmur que leva a esse processo inflamatório.
O importante é que o desarranjo biomecânico causado por contraturas e deficiências musculares e os desvios angulares dos membros inferiores levam a uma das duas teorias para esta lesão.

Os sintomas mais comuns são:

Dor lateral do joelho, na região do epicôndilo lateral do fêmur;
Crepitação;
Ressalto e;
Edema.

E o tratamento deve ser baseado no ajuste biomecânico, que apresenta melhora em 90% dos casos.
- - - - - - - - - -
Ft. Vinícius S. Bastoni

_____________________________________________________________________________________

A Síndrome do Trato Iliotibial é uma lesão inflamatória aguda comum em ciclistas, corredores (é conhecida também como “joelho do corredor”) e em outros atletas que praticam atividades envolvendo flexão repetitiva do joelho.

Caracteriza-se por uma dor na região lateral do joelho que ocorre devido ao atrito repetido do trato iliotibial contra o epicôndilo lateral do fêmur.

O trato iliotibial é uma fáscia que se localiza na parte lateral da coxa e é responsável principalmente pela estabilização ântero-lateral do joelho.

Este trato sofre atrito com a parte óssea lateral do fêmur quando o joelho flete a aproximadamente 30°. A sobrecarga e o atrito repetido desta estrutura contra o osso provocam a inflamação da fáscia.

O atleta geralmente percebe a dor na região lateral do joelho durante a atividade, e a cada treino, pode aparecer mais precocemente. Muitos atletas relatam sentir fisgadas durante a atividade, e muitas vezes intensas. Quando esta se torna mais crônica, pode incomodar em atividades cotidianas como subir e descer escadas.

São causas comuns do surgimento da Síndrome do Trato Iliotibial:

● Encurtamento da banda iliotibial;
● Fraqueza do músculo glúteo médio e maior ativação do músculo tensor da fáscia lata;
● Aumento abruto da intensidade do treinamento – treinamento sem orientação de um profissional;
● Pronação excessiva dos pés;
● Calçado inadequado para seu tipo de pé;
● Posicionamento incorreto dos pés no pedal da bike – uma dica é posicionar o pedal com o calcanhar aproximadamente 6° para fora
● Altura incorreta do banco da bike;
● Corrida em terrenos irregulares, subidas e descidas em excesso;
● Joelho varo (arqueado para fora), torção tibial ou epicôndilo lateral do fêmur anormalmente saliente.

E o que fazer quando a dor aparecer?

● Uso de gelo no local – 20 min 3 x /dia
● Tente encontrar dentre as causas acima o que pode estar acontecendo com você e procure corrigi-las;
● Faça um alongamento suave do trato iliotibial e do ventre do tensor da fáscia lata;
● Procure um profissional adequado (médico e fisioterapeuta de desporto) para um exame clínico preciso e possíveis exames complementares para confirmação do diagnóstico.


Grande abraço a todos!!!

domingo, 24 de janeiro de 2010

Espírito de competição!



Até onde vamos estimulados pelo nosso espírito de competição???
Boa semana para todos e ótimos treinos!

sábado, 23 de janeiro de 2010

Treinos da semana (18/01 à 24/01)




Segunda -feira:
Natação: 2700m
Musculação
Corrida: 10km

Terça-feira:
Natação: 2800m
Bike: 65km

Quarta-feira:
Simulado de triathlon:
1000m natação, 40km bike e 3km de corrida

Quinta-feira:
Natação: 2700m
Corrida: 9km

Sexta-feira:
Corrida: 5km
Natação: 2000m
Musculação

Sábado:
Bike: 2h30' de MTB

Domingo:
"Descanso", as aspas foram intencionais mesmo, passarei o dia fazendo rapel, portanto o descanso será só do gesto mesmo.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Desafio Rústico de Duathlon - Uberlândia



Para quem está procurando um desafio, no dia 31 de janeiro acontecerá em dezembro o 1º desafio rústico de duathlo. As distância da prova serão de 4km corrida, 15km de mountain bike e mais 2km de corrida. Lembrando que todo o percurso tanto da corrida quanto da bike será em estrada de terra.
Será um evento sensacional que irá agitar o final de semana de todos que toparem o desafio.

Tri abraço!!!

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Treinos da semana (11/01 à 17/01)



Segunda -feira:
Corrida: 10km
Musculação
Natação: 2500m

Terça-feira:
Bike: 60km
Natação: 2500m

Quarta-feira:
Natação: 2700m
Musculação
Corrida: 20' trote na grama

Quinta-feira:
Natação: 2300m
Bike: 50km

Sexta-feira:
Natação: 3000m
Musculação
Corrida: 8km

Sábado:
Bike: 80km

Domingo:
Descanço





sábado, 16 de janeiro de 2010

Porque Craig Alexander correu mais que Chris Lieto?

Bom no ano passado todos foram testemunhas da corrida incrível de Craig Alexander, ele "só" tirou uma vantegem de 12', passou e ainda abriu uma boa distância. Falando só da corrida, sem citar outros fatores que são de extrema importância também claro, mas que não vou colocar em questão agora, como por exemplo, o fato de Lieto ter feito um pedal monstruoso e já estar relativamente mais cansado do que Craig. Mas enfim, o vídeo mostra a análise da técnica de corrida de Craig e Lieto no exato momento da ultrapassagem e dá para ver claramente as diferenaças. Os vídeos são show.

Enjoy!







Dia #06 e #07

Igreja da Pampulha


Sexta-feira foi mais um dia derrotado por conta da viagem, chegamos 9hs da manhã e só dormi, o dia todo. Não teve treino, mas foi bom para descançar e responder mais 1milhão de perguntas do Serginho, hehehehehehe.
E o descanço foi muito bem vindo, afinal no outro dia o pedal foi monstro, sábado de manha combinamos de encontrar com a Alex e ir pedalar no famoso pelotão da Pampulha, e assim foi. O pelotão é o seguinte, os ciclistas se reunem para sair e fazer três voltas de 18km cada uma, sendo que a primeira volta todos os ciclistas pedalam juntos só pra aquecimento mesmo já as outras duas os grupos se dividem em pelotão A, B, C... cada um desses tem um ritmo, o A costuma ser o mais forte com velocidade livre, o B a velocidade média costumar ficar em torno dos 42km/h o C na casa dos 36km/h e assim vai indo.
Bom até chegarmos na Pampulha foram mais de 20km, fizemos a primeira volta juntos e resolvi tentar ir no pelotão A pra ver como ia ser, na pior das hipóteses eu esperava o pelotão B se fosse necessário, mas não precisou mesmo. Até a metade da segunda volta fui acompanhando, até que chegou minha vez de puxar, aí o jeito foi fazer força. Fui pra frente do pelote como uns nove ciclistas e eu, abaixei no clip e desci a bota. Completei a segunda volta puxando e olhei para trás e só tinha eu e mais três, auuuuuuuuuu, tô voltando!!!!!!! A terceira volta não foi muito diferente, puxei quase que a volta toda e chegamos, nú as pernas estavam ardendo absurdo, hehehehehehe. Não tinha acabado ainda, afinal tinha que voltar para casa e pedalar mais de 20km de novo e lá fomos nós. No final do treino foram nada mais nada menos que 104km rodados, foi muito bom mesmo. Quem for para BH não pode deixar de ir pedalar na Pampulha é bom demais.
Depois de tanto sol na cabeça deu aquela moleza e depois do almoço e de fazer um trato com o Serginho de não poder falar a palavra porque mais, dormi mais de uma hora direto. No final do dia pegamos o ônibus e viemos de volta para Uberlândia.
Depois de uma semana como essa só tenho que agradecer e agradecer muito ao principal respónsavel por tudo isso, Cristiano (Big) valeu de mais e pode ter certeza que sempre que eu cruzar a linha de chegada nas provas vou me lembrar da força que você deu nesse início de ano, muito obrigado irmão, agora quero saber se você está correndo hein, manda notícias depois.
Agradecer muito também a Senhora Marília por ter nos recebido tão bem em sua casa, muito obrigado mesmo. E dizer que foi um grande prazer conhecer todas as pessoas que tive a oportunidade de encontrar nessa semana, entre elas a Lili, uma pessoa de tirar o chapéu de tão fina, simpática e prestativa, grande beijo Lili.

Pessoal essa foi minha primeira semana do ano, espero que tenham gostado da forma como contei, tentei me expressar da melhor forma possível e mostrar o quão bom foi essa aventura que não teve planejamento nenhum mas que deu tudo muito certo.

Flavinha agora é treinar, treinar e treinar de volta no "Berlandão", hehehehehe. Valeu de mais a companhia.


Abraço a todos!!!!

Dia #05

Convento da Penha



Quinta-feira acabou se tornando o último dia em Vitória, acabou surgindo um imprevisto no trabalho do Big e íamos voltar para Belo Horizonte de madrugada, só achei ruim porque em BH não tem mar mas fora isso até gostei pois ia ter a oportunidade de pedalar na Pampulha e conhecer o famoso pelotão da Pampulha.
O treino era pedal 60km e natação, mas não correu tudo como o esperado. O pedal correu tudo muito bem, saímos cedo e antes das 7hs da manhã já estávamos pedalando, foram 30km de ida e 30km de volta e como já tinha aprendido segurei mais na ida pois já sabia de como seria a volta. Não deu outra, muito vento e dá-lhe pernas, correu tudo bem dessa vez, forcei bem e não quebrei dessa vez. Só a nível de curiosidade, o vento lá é tão forte que a velocidade média da ida onde segurei bem o ritmo foi de 36km/h, já a média da volta foi de 29,8km/h e fazendo muita força para segurar a velocidade o máximo possível.
A tarde fomos visitar o convento da Penha que é um ponto turístico maravilhoso, fica alto de uma montanha e a vista é espetacular da para ver Vila Velha e Vitória direitinho. Na volta fomos ao Shopping e pela hora vi que não daria mais para fazer o treino de natação, mas não esquentei, apesar de querer muito ter ido aproveitar o mar no último dia. Já era noite umas 20hs e chegamos em casa, claro que não ia perder o treino, não ia nadar mais isso era certo mas aproveitei para correr. Foram 30’ de corrida ritmada no calçadão, não sei ao certo qual foi a distância, mas pelo ritmo imagino que tenha dado uns 7km mais ou menos.
Terminada a corrida tirei os tênis e fui entrar na água, praia vazia o céu estava maravilhoso e entrei na água para pedir a Deus por mais um ano cheio de conquistas e muita energia para alcançar todos os meus objetivos, fiquei no mar e andando na areia por mais de maia hora e nem imaginei que o tempo tinha passado tão rápido, nesses momentos de reflexão que sentimos uma gratidão imensa por estar vivo e ter a oportunidade de estar em lugares como esse, com tanta energia boa nessa primeira semana do ano sinto que 2010 vai ser Show.
Depois de aproveitar tão bom a viagem era hora de arrumar as coisas para partir, lá vamos nós enfrentar mais 1.504.567.431 curvas naquela estrada “maravilhosa” de Vitória para Belo Horizonte, hehehehehhe.

Bons treinos a todos!!!

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Dia #04




Bom depois de só nadar com água agitada por conta dos ventos, o jeito foi mudar o horário do treino de natação para o período da manhã. Afinal, de manhã não tem vento algum e o mar fica igual uma piscina, nem tanto mas quase, hehehehe.
7:00hs já com os pés na areia aqueci até a ilha nadando tranqüilo. Aí comecei o treino mesmo, foram 12 tiros de 1’30” nadando em ritmo forte com 30” de intervalo passivo, em outras palavras boiando. Depois da série principal soltei mais 10’ só para aproveitar a água que estava muito boa.
Depois do treino foi só ir para casa, levantar as pernas e descansar para o treino da tarde.
Por volta das 17hs era hora de ir correr, o treino era 10km e a expectativa estava meio alta por conta da dificudade que foi o treino de corrida anterior. A Flávia foi de bike do meu lado e ajudou demais. Corri na ciclovia mesmo e era só olhar para o lado que via a velocidade que estava correndo no cateye da bike.
O treino rendeu muito mais, me senti bem melhor correndo e finalmente voltei a sentir que sabia correr. Ao contrário do treino anterior que a sensação era a de que nunca tinha corrido e parecia um cara todo desengonçado correndo, mas passou e ainda bem que foi muito breve essa sansação.
Resultado do treino, 10km em 43’30”, relativamente tranqüilo. A única dificuldade foram os 5 primeiros kilômentros, com o vento muito forte contra, ou vocês acharam que ele parou, não mesmo só de manhã que ele dá uma trégua.
Amanhã tem mais pedal e corrida.

Grande abraço a todos.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Dia #03




6:00hs em ponto o despertador tocou, como em Vitória faz muito calor deixei a janela aberta e quando acordei vi o tanto que estava claro, até conferi o relógio achando que ele estava errado. Parecia que já era umas 8hs no mínimo, mas estava certo não era. O ânimo quando se acorda com o sol já brilhando é outro, já despertei na hora, rolou um cafezinho da manhã e depois foi só arrumar as bikes e as garrafas de água no carro da equipe, hehehehe, segundo o Big era o carro da Big Team triathlon. Imagina uma Frontier gigante com duas bikes de pé na carroceria, ficou muito show... só faltou mesmo segundo Big as rodas gigantes e o DVD bombando, hehehehehhehe.

Partimos em direção a Rodovia do sol, que liga Vila Velha a Guarapari, até aí não sabia o que encontraria pela frente. Na minha cabeça eu ficava me perguntando: Será que tem muita subida? Será que é plano? Será que o asfalto é bom? Vai ventar? Enfim tudo era novidade.

Saímos e comecei a pedalar depois de praticamente um mês inteiro sem pedalar a bike parecia desconfortável, mas isso foi só até aquecer. No início foi só empolgação, socando a bota e me sentindo muito bem um visual maravilhoso, asfalto bom e o vento até aí não sabia onde estava... isso na ida. Quando retornei desacreditei no quanto estava ventando. Soprava tanto que descrencei totalmente, fazia muita força e a velocidade custava ficar em torno dos 30km/h, aí entendi porque não tinha sentido nada de vento na ida, era porque ele estava totalmente a favor, arrependi de ter forçado tanto no começo. Eu fui achando que minhas pernas estavam no mesmo ritmo do final do ano passado, afffffffff.

Bom já que tinha rodado o que achava ter sido uns 35km até o ponto que retornei, afinal meu cateye está funcionando só a função de cadência, contra o vento não tinha outro jeito, a única opção que tinha era de voltar mesmo sem perna. A única coisa que passava em minha cabeça era chegar, fui arrastando até Vila Velha, e quando cheguei só chegou a capa mesmo, estava acabado.

De volta ao posto onde marcamos como ponto de encontro com o “chefe de equipe” Big voltamos para casa e foi só comer, tomar um banho e apaguei. Dormi o resto da manhã toda, nossa a falta de ritmo derruba qualquer um viu! O que era pra ser um pedal fácil me deixou destruído, mas foi muito bom, serviu como teste para eu ver como estou. E concluí que tem muito trabalho pela frente, hehehehhehehe.

Descansei a tarde até a hora de ir nadar, no final da tarde fomos nós de novo para Camburí, eu e a Flávia fomos de novo enfrentar o mar super agitado por conta do vento que não parava, dessa vez o treino rendeu bem mais. Fui até a ilha e voltei dessa vez bem mais rápido, com menos paradas na ida e direto na volta. Chegando de volta na praia cai na água de novo e nadei mais uns 15’ fazendo alguns estímulos de velocidade curtos com intervalos ativos. Foi bom de mais o treino, tirando os meus braços que esqueci de passar vazelina e ficaram muito assados por conta do sal, poderia ter nadado bem mais só que estava doendo muito.

Foi mais um ótimo dia, o que aprendi? No pedal da próxima vez não vou empolgar tanto na ida, pois agora sei que na volta vou enfrentar muito vento e ainda estou recuperando o ritmo, na água nunca mais esquecer de passar vazelina nos braços.

Tri abraço a todos!!!

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Comentário sobre a foto da capa



A foto da capa do blog é a largada da minha categoria no mundial de short triathlon em Gold Coast na Austrália no qual terminei em 4º lugar. Não dá para me achar aí mas eu tô no meio dessa correria aí. Prestem bem atenção na energia que foi essa prova, para começar largamos com o sol nascendo. Adoro essa foto que a Raquel tirou, ficou maravilhosa.




terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Dia #02

Praia de Camburí


Chegamos em Vitória no início da manhã, ou seja, passamos a madrugada inteira na estrada, eque estrada. De Belo Horizonte até Vitória a estrada é só curva, curva e mais curva, fui contando elas até umas 480 mas daí em diante perdi as contas, e até aí só tinha se passado uns 150km dos 560km de viagem, quase impossível dormir no carro desse jeito.
Mas enfim chegamos e de novo dormi a manhã toda, mas já com o primeiro treino do ano em mente, natação no MAR e corrida no calçadão, mas que coisa mais desagradável não é mesmo? Tinha jeito melhor de começar o ano???
A praia que fiz os treinos de natação e corrida foi a praia de Camburí. Os treinos eram simples, o de natação era chegar até a pequena ilha de pedras e voltar, mas não de frente para ela e sim começando e terminando bem na beirada da orla, pois se fosse de frente ia ter que ficar indo e voltando várias vezes por conta da proximidade. Aí ficar indo e voltando já basta na piscina ter que ficar fazendo inúmeras viradas.
A natação durou apenas 35' que foi o tempo que levei para ir e voltar. Para ser mais exato uns 21' para ir e 14' para voltar. A diferença foi grande por alguns fatores, primeiro e mais importante estava ventando muito e o mar estava bem agitado e segundo, na ida parei algumas vezes para conferir se a Flávia estava vindo. Já na volta além de estar a favor da corrente, fui direto, sem parar.
Depois da natação fui para casa e depois fui correr, aí o bixo pegou. O treino era muito simples, apenas 30' contínuos, maaassss 4 semanas parado e 3,5kg mais pesado transformou esses 30' tranquilos em 30' de um sofrimento absurdo. Não é exagero, parecia que alguma coisa estava me segurando e não me deixava sair do lugar, mas a missão foi cumprida e comprida, hehehehehehe. Mas toda essa labuta foi para me dar as boas vindas para o novo ano, passado o treino me senti muito bem e muito animado para todos os desafios que virão em 2010.
Amanhã tem pedal na rodovia do sol e mais natação.

Grande abraço!